0
Carrinho

Não existem quaisquer items no carrinho

Nutrição

Conhece os benefícios da proteína para atletas e não só

Os benefícios da proteína para praticantes de desporto, não podem ser subestimados, em particular em desportos que exijam poder de explosão na sua execução. É essencial que atletas com esse requisito tenham uma boa quantidade de massa muscular, pois só assim o corpo consegue responder a estímulos de grande intensidade, seja o atleta em questão um sprinter, um jogador de futebol ou um culturista.

benefícios da proteína


Benefícios da proteína


1) Construção muscular

A proteína é o único nutriente responsável pela construção da massa muscular. Por ser um percursor directo da construção muscular, a proteína é essencial para a recuperação muscular e o crescimento. Para construíres músculo precisas de consumir proteína de qualidade ao longo do dia.

2) Permitem um estado anabólico no corpo

O anabolismo muscular é aquilo que qualquer praticante de musculação procura, independente d seu objetivo ser de ganhos de massa muscular ou de perda de gordura corporal.
Quando estamos num estado anabólico ocorrem um conjunto de reacções que têm como objetivo o armazenamento de energia para o organismo e a reconstrução de tecidos (incluíndo os tecidos musculares).
Quando fazemos exercícios intensos com pesos, ocorre a destruição do tecido muscular, por isso sentimos aquela dor muscular característica, no dia seguinte. Quando o organismo entra em estado anabólico, a taxa de reconstrução muscular fica acelerada. O crescimento do músculo acontece quando ocorre essa reconstrução, pois cada vez que esse processo de destruição e reconstrução acontece, o músculo reconstrói-se maior, mais forte e mais denso.

benefícios da proteína

3) Aumenta a temperatura corporal

A proteína tem o efeito térmico mais pronunciado dos três macronutrientes. Isso significa que os alimentos ricos em proteínas aumentam o teu metabolismo, obrigando o teu corpo a trabalhar mais para digerir esses alimentos em comparação com fontes de hidratos de carbono e gordura.

Dando um exemplo prático, um peito de frango de 100g, com aproximadamente 24g de proteína e 2g de gordura, na verdade terá cerca de 90 calorias, e não as 114 calorias que na verdade representa. Isto acontece devido ao gasto calórico na sua digestão.

Há vários estudos que corroboram isto, como por exemplo Robinson et al3, que estudou a relação da proteína e da termogénese em resposta a uma dieta alta em proteína e outra em hidratos de carbono.

As respostas foram comparadas, e o efeito térmico foi superior de forma significativa naqueles que ingeriram uma dieta alta em proteína.

Este e outros estudos suportam o efeito térmico que a proteína tem. Claro que este efeito foi provado na ingestão de proteína vinda de alimentos completos, e não de suplementos proteicos.

4) Saciedade

Outro efeito interessante do consumo de proteína é o aumenta dos níveis de saciedade. Pessoas que sigam uma dieta com alto teor de proteína sentem-se mais cheias, comparando com as que não fazem mas ingerem o o mesmo número de calorias. Alimentos ricos em proteína atrasam o movimento do estômago para o intestino. Um esvaziamento gástrico mais lento significa que te irás sentir mais cheio durante mais tempo com a mesma ingestão calórica. Atrasar a digestão dos hidratos de carbono também é vantajoso, pois vai atrasar a libertação da insulina, o que é favorável para a libertação da hormona do crescimento.

benefícios da proteína

5) Reduz os níveis de insulina no sangue

O consumo de proteína com hidratos de carbono diminui a velocidade de libertação da insulina. Isto é muito importante para o controlo dos níveis de energia, e para todos os que procuram desenvolver um físico mais definido. Grandes concentrações de insulina no sangue activam as enzimas de armazenamento de gordura, e promovem o movimento de triglicéridos no sangue em direcção aos adipócitos, inibindo a ação das enzimas que promovem a metabolização da gordura armazenada.

Controlar a insulina é também importante porque vai reduzir as chances de ganhar resistência à insulina, uma condição que leva as pessoas a perder a sensibilidade à insulina. Estudos também

Sem Etiquetas