Nutrição

Seis Alimentos Para o Desenvolvimento Muscular

Fazer crescer a massa muscular é um processo complexo mas que se resume a dois fatores cruciais: treino de resistência (força) e ingestão adequada de proteínas e calorias. Ao tentar desenvolver ou aumentar os músculos, é essencial que comas calorias suficientes e fontes de proteína de qualidade ao longo do dia. Embora os batidos de proteína possam desempenhar um papel quando estás em movimento ou adicionar alguma proteína extra à tua dieta, a lista de alimentos abaixo ajudar-te-á a aproveitar ao máximo as tuas refeições, de forma a dar apoio aos resultados no desenvolvimento muscular para que estás a trabalhar.

De quanta proteína por dia precisas? A recomendação típica é entre 0,8g a 1,2g de proteína por quilograma de peso corporal, embora os fisiculturistas consumam por vezes mais de 3g / kg por dia. No entanto, houve estudos que demonstraram que quantidades excessivas de proteína (acima de 1,6 g / kg por dia) não têm impacto anabólico (de crescimento muscular) adicional.1

Por exemplo, um indivíduo de 80kg teria como objetivo consumir entre 64 e 128 gramas de proteína por dia, o que é uma margem muito grande. Ao calcular as tuas necessidades proteicas, considera como será o teu treino para esse dia e qual a probabilidade de construíres massa muscular. Os estudos mostram consistentemente que dietas ricas em proteínas e suplementos proteicos são fatores-chave para a construção de massa muscular.

A maioria dos alimentos discutidos neste artigo têm um alto teor de proteínas. No entanto, não poderás desenvolver músculos a partir dessa proteína se não ingerires calorias suficientes no geral. Para obteres ganhos musculares, precisarás do combustível fornecido por uma dieta bem equilibrada.

Embora a proteína seja o principal componente do tecido muscular, o desempenho sofre quando reduzes demasiado os hidratos de carbono. Os hidratos de carbono são o principal combustível para os músculos, enquanto as proteínas podem ajudá-los a repararem-se. As gorduras saudáveis ​​desempenham papéis-chave em muitas funções do nosso organismo, por isso é importante que obtenhas uma variedade de alimentos saudáveis ​​- hidratos de carbono, gorduras e proteínas – independentemente dos teus objetivos de composição corporal.

Os 6 Melhores Alimentos Para Desenvolver Músculos

Quando pensamos em alimentos ricos em proteínas, muitas vezes pensamos em alimentos de origem animal – carnes, aves, peixes, ovos etc. No entanto, não te esqueças que incluir proteínas de origem vegetal é igualmente importante. Variar as tuas fontes de proteína faz variar os aminoácidos na tua dieta, o que é essencial para o desenvolvimento de músculos saudáveis. Aqui vão algumas ideias para alimentos ricos em proteínas e maneiras de os incorporar na tua rotina diária. Embora muitos alimentos sejam ricos em proteínas, há opções melhores e opções menos saudáveis ​​em cada grupo, conforme explicitado abaixo.

1. Aves – peru, frango, ovos

No que toca a aves, certifica-te que escolhes carnes brancas e sem pele sempre que possível. Comprar peru ou frango picados em vez de carne de bovino picada pode ser uma opção com menos gordura. Verifica se a carne é magra e se a pele foi removida antes de ser picada. As fontes de proteína de aves de carne branca são frequentemente usadas como pratos principais para refeições à noite, enquanto os ovos são versáteis para qualquer hora do dia, e não apenas para o pequeno-almoço. Ainda que o peru e o frango também estejam disponíveis como carnes frias, opta por peitos assados inteiros ​​quando possível, para evitar sódio adicional e outros aditivos.

2. Peixe – salmão, atum, camarão, ostras

O peixe é outro prato principal alternativo à carne, e fornece muita proteína sem muitas calorias. O peixe varia de muito baixo teor de gordura (camarão) a opções mais ricas em gordura (salmão), mas todas as variedades são ricas em proteínas. No que respeita a cozinhar peixe, tenta não adicionar muita gordura, escolhendo preparações assadas ou grelhadas. O peixe também pode ser uma fonte de proteína muito económica se comprares atum, salmão ou sardinha em lata. Adicionar peixe enlatado a uma salada é uma opção fácil para pessoas em movimento, e pode ser guardada à temperatura ambiente.

3. Carnes – carne bovina, porco, etc.

As carnes vermelhas e de porco são muito comuns na dieta ocidental e é fácil exagerar quanto ao tamanho da porção. Estas fontes de proteína também podem estar cheias de gordura e calorias. Opta por partes magras sempre que possível e tem atenção às porções, para evitar demasiada gordura saturada. As partes da carne com menos gordura ficam bem se as cozinhares lentamente, de forma a mantê-las tenras e saborosas. As carnes são ótimas entradas e sobras fáceis de aproveitar para o almoço do dia seguinte. Limita as carnes vermelhas e produtos de porco com alto teor de gordura a uma vez por semana, se possível.

4. Laticínios – leite, iogurte, queijo

O grupo dos laticínios é uma escolha popular para alimentos ricos em proteínas devido à grande variedade que representa. Além de ricos em proteínas, os laticínios também costumam ter um alto teor de cálcio, um nutriente essencial para os ossos. Ossos fortes e saudáveis ​​são necessários para fazer exercício de uma forma sustentável ​​ao longo da vida. Os laticínios variam amplamente no seu uso e processamento; tenta evitar grandes quantidades de fontes ricas em gordura (queijo, leite integral) e concentra-te naquelas sem adição de açúcar (por exemplo, iogurte grego simples, em vez de aromatizado).

Os laticínios são apropriados para qualquer hora, desde um smoothie de manhã até um copo de leite ao jantar. Se evitares laticínios, certifica-te que os teus produtos alternativos à base de plantas têm cálcio e proteína adicionados. Os “leites” de arroz e de amêndoa têm geralmente muito pouca proteína. Para usar laticínios para obter proteína extra, adiciona queijo fresco a um lanche ou usa leite em batidos e smoothies, em vez de água.

5. Grãos, legumes e leguminosas

As plantas não são por norma os primeiros alimentos que consideramos quando pensamos em proteínas, mas existem muitas opções proteicas baseadas em vegetais. Fisiculturistas veganos e vegetarianos podem atender às suas necessidades proteicas com uma variedade de feijões, ervilhas, lentilhas e cereais integrais. Pão de trigo integral ou arroz integral são mais ricos em proteínas que seus equivalentes refinados, enquanto a quinoa é uma ótima fonte de proteína por si mesma.

Como com as fontes de proteína animal, os tipos de aminoácidos variam conforme as plantas, tornando as combinações de diferentes proteínas vegetais (por exemplo, arroz e feijão) a melhor maneira de obter todos os aminoácidos essenciais de que o corpo precisa. A soja enquadra-se neste grupo, com uma grande variedade de produtos de soja e de tofu disponíveis para compra na maioria das lojas. Para uma injeção de proteína, adiciona um pouco de feijão às saladas ou troca a massa por quinoa ou por milho-painço. Mesmo que comas carne, optar por estes alimentos com mais frequência é uma maneira fácil de aumentar a tua ingestão de proteínas ao longo do dia.

6. Nozes e sementes

Nozes e sementes são fontes adicionais de energia proteica à base de plantas. Embora a manteiga de amendoim seja uma opção comum, os frutos secos crus descascados (sem adição de sal) são fáceis de transportar para lanches em movimento. Se até agora usaste apenas manteiga de amendoim, experimenta manteiga de amêndoa ou manteiga de semente de girassol. Sementes de chia ou de linhaça são opções incrivelmente nutritivas para adicionar a smoothies ou a aveia. Embora as nozes e sementes possam ser ricas em calorias, contêm grandes quantidades de proteína por grama, assim como gorduras saudáveis ​​para o coração.

 

Outras fontes e suplementos para o desenvolvimento de massa muscular

A maioria dos alimentos contém os três macronutrientes (hidratos de carbono, gorduras e proteínas) em alguma proporção, mas a lista de alimentos apresentada distingue-se por altas proporções de proteína. Se procuras proteína adicional, há uma grande variedade de pós de proteína e bebidas preparadas no mercado. Podes encontrar nesta página outros artigos sobre a mais-valia da proteína de soro de leite e dos batidos de proteína para o desenvolvimento de massa muscular, principalmente no que toca à conveniência e facilidade. Se combinares hábitos de alimentação saudáveis com alimentos ricos em proteínas e suplementos tomados na altura certa, estarás a preparar os teus músculos para o sucesso.

 

Sumário

Estes sete grupos de alimentos ricos em proteínas oferecem-te várias maneiras saudáveis ​​de incorporares mais proteínas na tua alimentação, favorecendo o desenvolvimento muscular. Podes incorporar alimentos ricos em proteínas em todas as tuas refeições ou lanches diários. Aqui vão algumas ideias sobre quando usar os alimentos proteicos listados acima:

• Opções para o pequeno-almoço – ovos, queijo, leite, aveia com sementes de chia e / ou pó de proteína, carnes magras de peru
• Lanche da manhã – iogurte ou queijo fresco, cereais integrais, legumes, leguminosas
• Almoço – cereais integrais, carne, aves, peixe, produtos de soja, manteigas de nozes, feijões, ervilhas
• Lanche da tarde – nozes, sementes, queijo, cereais integrais, leguminosas, feijão
• Jantar – carne, aves, peixe, grãos integrais, leite, queijo
• Ceia – leite, iogurte, nozes

Embora esta lista possa parecer repetitiva, são apenas sugestões de maneiras fáceis de incorporar estes alimentos para desenvolvimento muscular no teu plano de refeições. Podes escolher os teus alimentos favoritos em cada grupo, fazer um esquema e incluir um ou dois em todas as tuas refeições ou lanches. Quando combinas o treino de resistência adequado com alimentos ricos em proteína como estes, estás a criar as condições certas para o desenvolvimento dos músculos.

 

Mensagem Final

Embora tenhamos tendência a pensar primeiro em carne e batidos de proteína quando queremos mais proteína na nossa dieta, há muitas outras opções de alimentos proteicos para todas as refeições do dia. Variar as fontes de proteína (especialmente entre fontes animais e vegetais) pode fornecer uma ampla variedade de aminoácidos, que favorecem o crescimento e a recuperação musculares. Se estás a tentar desenvolver a massa muscular, mantém uma alta ingestão de calorias e conjuga uma alimentação abundante em proteína com suficientes hidratos de carbono saudáveis e gorduras saudáveis para o coração, para comeres de uma forma equilibrada.

 

Agora também estamos no Whatsapp. Com conteúdo exclusivo! Para uma motivação extra Subscreve já, clicando aqui!

Traduzido por Hermano Moura

Os nossos artigos têm propósitos unicamente informativos e educacionais e não devem ser usados como conselho médico. Se está preocupado, consulte um profissional de saúde antes de tomar suplementos nutricionais ou introduzir qualquer grande alteração na sua dieta.

1. Morton, R. W., Murphy, K. T., McKellar, S. R., Schoenfeld, B. J., Henselmans, M., Helms, E., … & Phillips, S. M. (2018). A systematic review, meta-analysis and meta-regression of the effect of protein supplementation on resistance training-induced gains in muscle mass and strength in healthy adults. Br J Sports Med, 52(6), 376-384.



Claire Muszalski

Claire Muszalski

Escritor

Claire é uma Nutricionista membro da Academy of Nutrition and Dietetics para além de possuir a certificação em coaching de saúde e bem-estar atribuído pela International Consortium for Health and Wellness Coaching. No seu curriculum conta também com uma licenciatura em Biologia e um Mestrado em Dietética e Nutrição Clínica da University of Pittsburgh.

Falar e escrever acerca de comida e fitness são paixões que qualquer um notará na Claire, para além da sua disponibilidade de partilhar este conhecimento para melhorar outras vidas.

A Claire também possui uma certificação em treino de ciclismo indoor e tem uma paixão muito particular por corrida e aulas de yoga. O impacto mental e físico que lhe dão são únicos. Quando não está a fazer exercício, é normal vê-la a apoiar a equipa local de desporto ou a cozinhar para a família na cozinha.

Para saberes mais da Claire, clica aqui.