0
Carrinho

Não existem quaisquer items no carrinho

Suplementos

Ácido alfa lipóico | Benefícios. Como tomar?

O nome é bastante apropriado. Em etologia (o estudo do comportamento animal) alfa indica a posição mais alta na hierarquia dos animais. É aqui que o termo macho alfa entra. O alfa é o mais forte, o mais esperto e o mais respeitado.
O ácido alfa lipóico (ALA) pode ser considerado facilmente o alfa do grupo de suplementos em que se insere. Tem importantes funções antioxidantes que irão ser explicadas em detalhe.


O que é o ácido alfa lipóico?


O ALA é um composto que ocorre naturalmente, e está envolvido no metabolismo energético, e foi originalmente identificado como um componente do ciclo de Krebs (um conjunto de reacções químicas que permite organismos aeróbicos criarem energia pela respiração celular).

No entanto, desde os anos 80 mais investigação foi feita para explorar as qualidades deste composto, que se distinguiu de outros compostos com funções similares.

Esta coenzima é um poderoso antioxidante e tem um papel central no metabolismo de macronutrientes (hidratos de carbono, proteínas e gorduras). É sintetizado por animais e humanos.

Facto importante: é solúvel por gordura e água, algo que não é verificado em nenhum outro antioxidante, tal como a vitamina C, que só é solúvel em em água ou vitamina E que é solúvel em gordura.

atleta_conversa

Esta característica mostra que o ALA consegue ter impacto em qualquer célula ou tipo de tecido, e situar-se de forma não permanente no tecido corporal, pronto para ser usado a qualquer momento. Este benefício é ainda mais potenciado pelo facto de operar tanto na sua forma oxidada (ácido lipóico) como reduzida (ácido dihidrolipoico).

Defesa antioxidante

Subentende-se que o ALA é uma substância que deverá ser seriamente considerada numa dietética por qualquer um preocupado com as suas defesas antioxidantes e o seu impacto na saúde, e também por aqueles que querem manter um metabolismo adequado da glucose.


Como actua o Ácido alfa lipóico?


O primeiro traço distintivo do ALA é a sua capacidade de absorção. Como foi referido, o ALA pode ser transferido e acumulado no tecido corporal. No entanto, logo que ingerido através de suplementação oral é convertido para ácido dihidrolipoico (DHLA) no tecido corporal. Este é um dos pontos fortes deste suplemento já que, para além de ser facilmente ingerido e absorvido, também é convertido e usado imediatamente pelo nosso corpo.

ALA pode providenciar benefícios antioxidantes de duas formas: directa e indirectamente.

#1

ALA pode desactivar directamente espécies reactivas de oxigénio (radicais livres) que são responsáveis por uma infinidade de problemas de saúde, mas também estão relacionados com o envelhecimento.

Isto leva a uma redução nos níveis de stress oxidativo através dos tecidos corporais, seja ela em soluções gordurosas ou aquosas e em qualquer problema de saúde que involva oxidação poder-se-á esperar melhorias se tomar suplemento de ALA.

dumbell_sentado

#2

ALA pode orquestrar e facilitar que outros oxidantes funcionem em pleno contribuindo para a redução de stress oxidativo.

Por exemplo, o ALA pode contribuir para o aumento da concentração de outras vitaminas antioxidante, especificamente vitaminas C e E. Níveis altos de ALA podem regenerar a vitamina C (ácido ascórbico) da sua forma oxidada (ácido desidroascórbico) e, assim aumentar os níveis de vitamina celular. Igualmente, o ALA pode regenerar vitamina E da sua forma oxidada, de uma forma similar.

Não obstante, vitamina C  e E não são os únicos antioxidantes que são estimulados pela ingestão de ALA. Adicionalmente, o tripeptídeo glutationa e a coenzima Q10 (substância gordurosa solúvel semelhante a uma vitamina) são aumentadas pelo ALA.

De fato, o ALA aumenta as concentrações de glutationa até 70%, tanto pela regeneração de glutationa da sua forma oxidada como quando providencia cisteína para a síntese deste antioxidante.

Estas funções antioxidante ocorrem em paralelo com efeitos anti-inflamatórios de lesões agudas, o que tem sido comprovado em estudo com animais. Esta vertente destaca os benefícios para a saúde que este composto tem.

atleta_dumbell

Metabolismo de energia

O papel do ALA no metabolismo de energia, como já mencionado, está centrado no ciclo do ácido cítrico (ciclo de Krebs). Curiosamente, o ALA actua na mitocondria das nossas células recarregando enzimas específicas e aumentando a sua capacidade para produzir energia.

Duas enzimas particularmente importantes são PDH (piruvato desidrogenase) e alfa-KGDH (alfa-cetoglutárico desidrogenase), cujos têm um papel de destaque na mitocondria promovendo a produção de energia.

Adicionalmente, o complexo enzimático que é facilitado pelo ALA denomina-se DCCR (cadeia ramificada de desidrogenase ceto). Este tem o papel de criar energia a partir dos aminoácidos de cadeia ramificada: leucina, isoleucina e valina.


 Ácido alfa lipóico | Benefícios para a saúde


Quelação Metálica

Com os seus potentes poderes de absorção, antioxidante, anti-inflamatório, quelação metálica e de produção metálica, subentende-se que o ALA seja capaz de beneficiar inúmeros problemas de saúde.

Diminuição de dor

Um benefício neste campo regista-se na redução de dor em indivíduos com problemas lombares. Um estudo dedicado a observar o efeito da suplementação de ALA em pacientes com dor lombar crónica registou uma redução de 65.5% em indivíduos que tomavam analgésicos. Para além disto, registou uma diminuição significativa dos valores de “dor” e “incapacidade de movimentos”.

Funções cerebrais

Estudos têm vindo a demonstrar que a suplementação de ALA pode beneficiar diversas funções cerebrais incluindo melhorias na memória a longo prazo em ratos idosos, depressão e disfunções de memórias relacionadas com a doença de Alzheimer em Humanos.

atleta_exercicio_sentado

 Anti-toxina

Semelhante às funções de quelação metálica do ALA,  este também pode reduzir a toxicidade química dos tecidos e neutralizar as mudanças subsequentes no stress oxidativo ( de acordo com os benefícios antioxidantes de ALA). Tais factos foram observados com cianato químico e no fármaco usado na quimioterapia, ifosfamida, tão bem como na intoxicação por cogumelos tóxios e envenamento por chumbo.

Cardiovascular

O coração e o sistema cardiovascular beneficiam do ALA, nomeadamente através na redução de enfartes do miocárdio e ao mesmo tempo providenciando tecido para protecção do coração. Este facto é especialmente importante na questão da cardiomiopatia diabética, onde um distúrbio cardíaco é aparente em pessoas com diabetes sem doença cardíaca coronária. ALA também ajuda a reduzir a pressão arterial elevada.

Densidade Óssea

O ALA pode auxiliar na redução do grau de perda óssea na osteoporose após a menopausa.

exercicio_pernas

Saúde nervosa

Em modelos experimentais de lesão nervosa devido a exposição a luz e à exposição directa da medula espinal, observou-se que o ALA proporcionava um grau de protecção do nervo contra lesões. Além disso, uma série de testes em indivíduos com neuropatia diabética demonstraram que este suplemento ajudou a reduzir:

  • Sintomas de neuropatia
  • Melhorar a condução nervosa
  • Melhorar a condição dos nervos em geral

ALA  e a resistência a insulina

ALA revelou-se eficaz a lidar com algumas consequências físicas da diabetes e síndrome metabólica.

Curiosamente, foi descoberto que o ALA estimula a absorção de glicose pelos músculos de forma semelhante à insulina, indicando que poderá ter um papel importante na gestão de resistência à insulina e hiperinsulinemia.

Resistência à insulina refere-se à habilidade reduzida da hormona da insulina para estimular o transporte de glicose e metabolismo para os nossos tecidos corporais (nomeadamente, músculo e esporadicamente gordura), ou para reduzir a produção de glucose no fígado.

Como característica da doença metabólica estão normalmente associados outros problemas, tais como elevada pressão arterial, aumento de peso e problemas cardiovasculares (exemplo: arterosclerose). Até existe um mix de vários factores de risco relacionados com metabolismo e saúde cardiovascular, levando este tema a ser denominado de “síndrome X”.

De qualquer das formas, normalmente é apelidado de “síndrome da resistência à insulina”.

Resistência à insulina é referida geralmente também como “sensibilidade à insulina”. Na sua essência, se és resistente à insulina, então terás baixa sensibilidade à insulina (ou vice-versa). Resistência à insulina é algo perigoso, já que significa que as tuas células não respondem bem à presença de insulina, significando níveis mais altos desta hormona no sangue.

Este facto está fortemente associado com aumento de peso e obesidade já que terás de lutar para metabolizar energia de forma bastante eficiente. Também poderás sentir-te cansado e procurar alimentos com açúcar.

exercicio_peso_corpo1

Todavia, ficarás contente por saber que o ALA (a par da sua miríade de funções) também foi observado a contribuir para a prevenção da obesidade e aumento do peso, mesmo naqueles que consomem uma dieta rica em gorduras.

A questão é, como é que o ALA faz isto?

Estudos apontam que o ALA tem um papel específico na gestão do metabolismo da glucose e níveis de insulina prevenindo o aumento de peso.

Por exemplo, um estudo descobriu que a 600mg de dosagem de ALA duas vezes por dia durante quatro semanas aumentou a sensibilidade à insulina e a eficiência da resposta à glucose tanto em sujeitos magros como obesos.

ALA conjugado com treino potencia resultados

Talvez, devido ao facto do ALA em combinação com exercício terem efeitos semelhantes no recrutamento de GLUT4, deduz-se que a combinação de ambos irá gerar mais benefícios para o teu corpo.

Certamente, exercício físico levará a alterações no controle de glucose e acção da insulina no metabolismo da glucose muscular naqueles com resistência à insulina ou diabetes.

treino_futebol

Não obstante, tal como em vários cenários envolvendo a saúde, a complexidade do problema significa que uma só solução será algo arriscado para normalizar o controlo de insulina.

Sendo assim, fará sentido combinar ambas as práticas (exercício e ALA) para aumentar o efeito da insulina na resistência.


Porque tomar?


Os nossos corpos são capazes de produzir ALA através de ácidos gordos e cisteína, mas as quantidades obtidas são demasiadas baixas.

Posto isto, é sugerido que o ALA seja ingerido vindo de fontes externas e dado que a dieta ocidental não contém normalmente suficiente ALA, suplementos serão a tua melhor arma.

Até mesmo a suplementação poderá ter dificuldade em aumentar os níveis de ALA com 20-40% de absorção para o plasma para uma dose de 200mg. Os níveis mais baixos de absorção curiosamente são registados quando consumido com comida, indicando que há uma competição entre as proteínas necessárias para obter a absorção necessária.

receita_verao

Dosagem recomendada:

  • entre 600-1800mg por dia
  • não obstante, valores entre 200-600mg poderão providenciar 1000 vezes mais de ALA presente na maior parte das dietas

Efeitos secundários do ALA

Não foi fixo um limite de consumo de ALA, não obstante há dados de animais que sofreram intoxicação quando ingeriram demasiado ALA. Até certo ponto os benefícios de ALA poderão levar a problemas, significando que será preferível individualizar a dosagem caso a caso.


Take Home Message


ALA é indiscutivelmente um suplemento intrigante que merece a tua a consideração. A vastidão de benefícios relacionados com a saúde e a sua capacidade para ajudar no crescente aumento de sensibilidade à insulina, significa que poderá também ser escolhido caso somente queiras perder massa gorda.

A sua acção é potenciada quando usado a par de um regime de treino intenso. Desta forma, este suplemento poderá por em prática o seu papel antioxidante, melhorando a tua saúde e ajudando-te a perder massa gorda.

E é isto que faz o Ácido alfa lipóico!

Muito obrigado,

Chris

 



Myprotein

Myprotein

Escritor