Treino

Como a Força Mental de Emelye Dwyer Faz Dela Uma Vencedora | Forever Fit

Qualquer pessoa dedicada ao seu desporto ou ao fitness sabe que atingir os nossos objetivos pode ser um desafio que tem tanto de psicológico como de físico – ou mais ainda.

Estamos a celebrar aqueles que lidam com adversidades todos os dias para se manterem sempre ‘fit’. Porque a dedicação a longo prazo para enfrentar desafios físicos todos os dias requer uma dose formidável de força e determinação.

Para te inspirar a continuar, falamos com uma pessoa que representa este tipo de força – quer interior quer exterior. Esta é a história da atleta de crossfit Emelye Dwyer.

 

 

Emelye começou a sua viagem no fitness como atriz e dançarina. Contudo, afastou-se resolutamente de tudo isso quando se apercebeu que a carreira como atriz não era para ela.

“Entra-se numa sala com algumas pessoas sentadas atrás de uma mesa e alguém ao piano. Três deles pensam que és fantástica e os outros pensam que és terrível, e eu não conseguia lidar bem com isso.”

Numa altura da sua vida em que se sentia um pouco perdida, Emelye encontrou o crossfit, que lhe deu a clareza de que precisava.

“O que eu gosto no crossfit é que é completamente objetivo. Ou somos os mais rápidos, os mais atléticos, os mais fortes, ou não somos. Portanto, eu adoro essa clareza no progresso do meu treino. É possível medi-lo, de modo que vejo todos os dias, semanas ou meses o progresso que estou a fazer.”

 

“Recordo-me de pensar que aquilo era a coisa mais fixe que eu já tinha feito em toda a minha vida.”

Desde a primeira aula que Emelye soube ter encontrado a sua paixão e desde então competiu nos Reebok CrossFit Games, e treinou outros aspirantes a crossfitter.

“Aquilo era a melhor coisa que eu já tinha feito. Havia halteres a voar por todo o lado, as pessoas atiravam cordas, burpees – era um ambiente espetacular, e a partir desse momento fiquei completamente viciada.”

Ser parte de uma comunidade de fitness pode ter um impacto imensamente positivo na nossa motivação e experiência do desporto. Emelye descobriu justamente isso.

“Senti-me imediatamente incluída neste clube secreto de pessoas que sofrem em conjunto e celebram esse facto, e depois voltam as suas rotinas diárias.”

O seu amor recente Emelye pelo crossfit depressa a levou a querer entrar em competições, portanto apenas 4 meses depois do primeiro treino inscreveu-se numa competição interna, onde acabou em segundo lugar.

“Foi aí que pensei que, com algum esforço, podia ficar no topo, e arranjei um treinador pessoal para me ajudar.

Apercebeu-se que o seu sucesso estava diretamente correlacionado com o quanto se esforçava – algo que lhe deu a motivação para treinar ainda mais intensamente.

 

 

“Dei por mim mesma a dar tudo de mim nas aulas e a querer ficar sempre no topo das classificações.”

Poder medir o seu progresso teve um grande impacto na sua motivação para treinar.

“Eu sabia que, independentemente de tudo, se eu desse genuinamente o meu melhor isso seria suficiente. Temos a recompensa consoante o nosso trabalho.”

Emelye, no entanto, não atribui a sua atitude positiva e proativa apenas ao acaso, porque no último ano tem trabalhado com uma guia mental, Emma Hackett da Limitless Coaching.

“Mudou completamente a minha perspetiva sobre como abordo o meu desempenho atlético, como o avalio, e como entro numa competição.”

 

“Tenho autismo, e estas são as coisas de que preciso para me ajudarem a lidar com isso, e estes são os meus superpoderes.”

Com esta orientação, veio a conseguir ver o seu autismo não como algo que a impedisse de progredir, mas como uma vantagem única.

“Ela ajudou-me a desenvolver aptidões em concordância com tendências autísticas, para me beneficiar. Como não fazer disso uma etiqueta e pensar “Ah, não posso fazer isso, sou autista, tenham pena de mim.” Em vez disso pensar “Tenho autismo, e estas são as coisas de que preciso para me ajudarem a lidar com isso, e estes são os meus superpoderes.”

“Há um excelente artigo na Forbes que fala sobre atletas com hiperatividade e défice de atenção e que na realidade lhes dá uma vantagem competitiva, porque conseguem abstrair-se de tudo o resto e focarem-se completamente na tarefa em mãos, o que é muito bom.”

Há também coisas práticas que Emelye faz todos os dias para se manter no rumo.

“No fim de cada treino tenho que escrever o que correu mal, o que podia ter corrido melhor e o que posso fazer de maneira diferente da próxima vez. Escrevo isso no quadro, tiro uma foto e dou o assunto por terminado.”

Tal como no que diz respeito ao que alimenta a sua mente, Emelye tem opiniões fortes quanto ao que alimenta o seu corpo e é vegana há anos.

“Ter uma dieta baseada em vegetais limpou muito a minha pele, e também me sinto com imensa energia. Permite-me encher a dieta com imensos vegetais de todas as cores, e nozes, e sementes, e todas as coisas boas que crescem na terra.”

“Se consumimos lixo, vamos estar a regenerar o corpo com lixo, mas se ingerimos as coisas certas – comida saudável e deliciosa que cresceu com o sol e a água, é isso que fornecemos ao nosso organismo para este prosperar. Somos o que comemos, somos aquilo com que nos suplementamos, e somos aquilo que fazemos repetidamente.”

 

 

“Nunca temos um mau treino – ou temos um treino absolutamente espetacular, ou temos um treino em que desenvolvemos caráter.”

Emelye apoia-se na sua rotina para tirar o maior proveito possível de cada treino, assim como para se manter focada nos seus objetivos. Tem também regras estritas e que funcionam bem para estabelecer metas.

“Se temos um objetivo em termos de fitness, precisamos de nos certificar que é um objetivo inteligente – tem que ser mensurável porque se não sabemos onde estamos quando temos uma meta, é muito difícil mantê-la em mente. Pensamos “Estou a chegar lá? Estou a fazer algum progresso?” Portanto, devemos estabelecer metas a curto prazo e não nos esquecermos de dar recompensas a nós próprios.”

Também sabe que não deve ficar ansiosa com coisas que fogem ao seu controlo que podem afetar o desempenho.

”Estabelecer metas contra coisas que não podemos controlar pode ser muito desencorajador. Por exemplo, se a minha meta for entrar numa competição e ganhar a todos, há coisas que não dependem de mim, porque pode haver alguém a entrar nessa competição que é absolutamente excecional”.

“Mas se eu entrar com a meta de conseguir o meu melhor desempenho e de tirar proveito de todo o trabalho árduo que desenvolvi nos treinos, então posso atingir essa meta – e tudo o mais vem, na verdade, por acréscimo”.

 

Emelye Dwyer é Forever Fit

Está aqui uma pessoa que conhece que o verdadeiro poder por trás do nosso desempenho vem de dentro e que o trabalho árduo acaba sempre por nos recompensar de todo o tipo de formas. A sua abordagem psicológica mostrou-lhe que há muito mais no fitness e no desporto competitivo que vencer – há também muitas lições importantes a aprender.

“Ser sempre ‘fit’ significa ser capaz de pegar nas minhas sobrinhas e sobrinhos a qualquer hora do dia. É ser capaz de ter a energia para fazer corridas com eles até ao cimo de uma colina sempre que eles quiserem. Significa que posso evitar as filas dos elevadores gigantes do metro e correr pelas escadas ao cimo, e sair depois pela porta sem me faltar demasiado o fôlego. Ser Forever Fit, para mim, significa ser saudável por dentro e por fora – não nos focarmos no que é superficial, mas em todas as células no nosso corpo.”

 

Descobre mais sobre a nossa meta de te manter Forever Fit.

 

Agora também estamos no Whatsapp. Com conteúdo exclusivo! Para uma motivação extra Subscreve já, clicando aqui!

Traduzido por Hermano Moura

 



Evangeline Howarth

Evangeline Howarth

Escritor

Evangeline tem uma larga experiência em desportos de competição desde tenra idade. Por exemplo, a sua experiência como instrutora de vela RYA ensinou-lhe o quão importante é cuidar da sua alimentação para um rendimento de topo em desportos extremos e de endurance. Este foco na alimentação permitiu-lhe atingir o estatuto de capitã da equipa olímpica do Reino Unido e treinar a equipa da sua universidade.

Nos seus tempos livres, a Evangeline adora correr maratonas. Ao fim de semana irás encontrá-la a fazer desportos aquáticos ou escalada. Ao anoitecer opta por sessões de treino de alta intensidade ou um treino de squats antes de comer uma bela refeição picante com muitas verduras - yum!

Descobre mais da experiência da Evangeline aqui.